Skip to content
Entre Crie sua conta

Diga sim para conquistar seus objetivos
Dicas sobre como organizar seu dinheiro, sair do vermelho, fazer seu dinheiro render e entender o mercado.

Acesse

Conheça a biblioteca

Diga sim para crescer como empreendedor
Conteúdos práticos sobre como organizar as finanças do seu negócio, começar a empreender, administrar seu negócio e vender mais

Acesse

Conheça a biblioteca

Diga sim para expandir sua empresa
Conhecimento sobre como impulsionar suas vendas, gerenciar e expandir sua empresa e insights de mercado

Acesse

Conheça a biblioteca

Diga sim para tecnologia descomplicada
Conteúdos sobre conta grátis, crédito, venda online e física, Pix e tutoriais Mercado Pago

Acesse

Conheça a biblioteca

Endividamento das famílias brasileiras: como fugir dessa realidade

Em tempo de recordes de inadimplência, saiba como evitar cair em armadilhas.
Mulher com as mães na cabeça e preocupada na frente do laptop

O sonho da independência financeira é algo muito comum entre as famílias, mas muitas não conseguem alcançá-lo devido à falta de planejamento. Não é à toa que o endividamento das famílias brasileiras é o maior em 12 anos, atingindo 77,5%, como apontam os dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Por conta desse cenário, muitas pessoas enfrentam o estresse e a ansiedade diariamente, além de ficarem cada vez mais longe das suas metas financeiras, tendo em vista que o endividamento pode proporcionar a negativação do seu nome nos órgãos de proteção ao crédito.

 

O que é endividamento das famílias brasileiras? 


O endividamento é um problema sério no Brasil e ele pode ter diversas vertentes. 

Por exemplo, quando as dívidas correspondem a até 30% da renda familiar o endividamento é considerado aceitável e com ajustes é possível evitar sua recorrência. Já quando representam uma fatia entre 30% a 35% ele demanda atenção, sendo necessário replanejar seu orçamento familiar.

O problema maior é quando a dívida representa de 35% a 40%, pois ele começa a prejudicar sua saúde financeira e a grande preocupação é quando as dívidas ultrapassam 40% da renda familiar, configurando um superendividamento que te impossibilita de pagar as dívidas com calma e sem prejudicar sua saúde financeira, pois esse montante é maior do que a renda que possuem. 

 

As principais causas de endividamento das famílias brasileiras


Antes de buscar soluções para o endividamento, é essencial entender o que levou a entrar em dívidas. Separamos algumas das principais causas que acometem as famílias brasileiras. Veja:  

 

  • Desemprego;
  • Falta de educação financeira;
  • Uso inadequado de crédito;
  • Consumo excessivo ou por impulso;
  • Falta de uma reserva de emergência
  • Má administração das finanças; 
  • Fazer empréstimos impulsivos.

 

Como sair do endividamento familiar?


Entender as causas do endividamento familiar é o primeiro passo para evitá-lo, como também é uma forma de conseguir traçar estratégias que ajudem a organizar suas finanças.  

Ao observar atentamente as causas, é importante analisar a realidade financeira da sua família e identificar as possibilidades na hora de negociar suas dívidas. Descubra, a seguir, algumas opções que podem te ajudar a sair do endividamento e melhorar sua saúde financeira. Confira: 

 

  • Reconheça o problema

Não existe outra maneira além de começar compreendendo qual a sua real situação financeira. Em alguns casos, isso significa uma comunicação transparente entre os familiares para que possam estar a par do problema e colaborar com a solução. 

 

  • Analise a sua situação

Este é o momento de reunir todos os boletos e contas, listar as dívidas, despesas fixas e calcular o nível de endividamento. Com isso, é possível estabelecer um orçamento familiar e identificar a porcentagem da renda disponível para o pagamento das dívidas. 

 

👉Leia mais: Sair do vermelho: como negociar dívida e recuperar a sua saúde financeira

 

  • Identifique qual é a receita da família 

Quanto a família de fato ganha por mês? Há possibilidade de conseguir uma renda extra para ajudar nas despesas? Essas perguntas ajudam a entender a realidade financeira e evitar renegociações irresponsáveis. Isto é, sem ter condições de arcar com os valores. 

 

  • Saiba priorizar e tome ações imediatas

Comece a enumerar quais são as prioridades de pagamento. Identifique o que é possível eliminar e o que é indispensável para sua família. Com isso, anote os pagamentos de contas físicas, os gastos recorrentes e veja aquilo que é possível reduzir os gastos. 

 

  • Renegocie as dívidas

Entre em contato com os credores e verifique as propostas de negociação para quitar dívidas para que possam se ajustar melhor ao orçamento. Aceite apenas quando realmente tiverem condições de arcar com as parcelas. Caso contrário, você assume uma nova dívida e juros. 

 

  • Honre os pagamentos

Não deixe de honrar os pagamentos das negociações, pois geralmente depois de uma inadimplência, muitas empresas não permitem novas renegociações ou não oferecem condições tão atrativas, além dos juros que acabam tornando suas dívidas cada vez maiores. 

 

 

Invista na organização financeira da sua família! 


O endividamento acontece na maioria das vezes por conta da combinação da falta de planejamento financeiro e uma renda baixa. Por isso, o ideal é fazer ajustes e mudar os hábitos familiares em relação ao dinheiro para conquistar uma relação mais saudável com as finanças. 

Organize-se financeiramente, comece a economizar dinheiro e evite o endividamento familiar.

 

Nova call to action


Escrito por:

assinatura_equipe

Artigos relacionados