Skip to content
Entre Crie sua conta

Diga sim para conquistar seus objetivos
Dicas sobre como organizar seu dinheiro, sair do vermelho, fazer seu dinheiro render e entender o mercado.

Acesse

Conheça a biblioteca

Diga sim para crescer como empreendedor
Conteúdos práticos sobre como organizar as finanças do seu negócio, começar a empreender, administrar seu negócio e vender mais

Acesse

Conheça a biblioteca

Diga sim para expandir sua empresa
Conhecimento sobre como impulsionar suas vendas, gerenciar e expandir sua empresa e insights de mercado

Acesse

Conheça a biblioteca

Diga sim para tecnologia descomplicada
Conteúdos sobre conta grátis, crédito, venda online e física, Pix e tutoriais Mercado Pago

Acesse

Conheça a biblioteca

Como montar uma reserva de emergência ganhando pouco?

Entenda como ter dinheiro guardado para não se preocupar com nenhum imprevisto financeiro
Casal fazendo o planejamento financeiro para montar a reserva de emergência.

Já pensou em nunca mais passar perrengue por causa de falta dinheiro? Com certeza, esse é o sonho de todo mundo. Porém, mais da metade dos brasileiros (69%) tem medo de não conseguir montar uma reserva de emergência, segundo uma pesquisa da Opinion Box.

Economia e boa gestão financeira sempre são assuntos bem-vindos e, depois da pandemia, tornaram-se prioridade. Prova disso é que 71% das pessoas passaram a rever a forma como se relacionam com as finanças e 79% entenderam a importância de guardar dinheiro, independentemente do quanto ganha por mês

 

Naturalmente, guardar dinheiro é visto como um desafio maior para quem ganha pouco. Afinal, cada centavo faz a diferença na hora de manter as contas em dia diante de boletos infinitos, despesas com aluguel que comprometem boa parte do orçamento e tudo ficando cada dia mais caro.  

Apesar disso tudo ser verdade, vamos mostrar que é possível montar uma reserva de emergência, mesmo ganhando pouco!

 

Mas, o que é reserva de emergência?


A reserva de emergência é aquele dinheiro que você guarda para usar caso apareça algum imprevisto financeiro. São aqueles momentos inesperados, como quando você é pego de surpresa com uma geladeira que para de funcionar, alguma coisa que quebra na casa ou um remédio que precisa ser comprado.

Essas e outras situações acontecem na vida de qualquer pessoa. O que vai mudar é a forma de lidar com a emergência para evitar uma possível dívida ou empréstimo.

Mas vale lembrar que ter uma reserva de emergência é um pouco diferente de guardar dinheiro para realizar um sonho, como comprar um carro ou uma viagem. A reserva deve ser exclusiva para os imprevistos da vida.

 

Como montar uma reserva de emergência na prática?


Antes de qualquer dica, o segredo para começar e manter uma reserva de emergência é não encarar como uma regra ou uma pressão de ter que guardar uma quantia definida de dinheiro.


Pode acontecer que você não consiga economizar nada no mês e, nessas ocasiões, está tudo bem! O importante é manter a frequência sempre que possível e não se desesperar se vez ou outra não der certo.

Veja 3 passos para você começar sua reserva de emergência agora.

 

1º Passo: Registre e avalie todos os gastos do mês

 

A primeira iniciativa para separar um dinheiro para emergência é avaliar suas finanças, sabendo exatamente o quanto entra e sai no mês. Você faz isso separando seus gastos entre despesas fixas e variáveis.

As despesas fixas são aquelas que acontecem todos os meses e não mudam o valor, como aluguel, plano de saúde, internet e conta do celular. Já as despesas variáveis, mesmo que sejam mensais, são mais flexíveis e podem ter diminuição de valor. Por exemplo, conta de luz e água, supermercado e passeios.

 

2º Passo: Faça uma conta para descobrir a meta da sua reserva

 

Depois que você descobre o total das suas despesas, multiplique pela quantidade de meses que você vai precisar para resolver alguma emergência.

Por exemplo: R$ 400 (despesas fixas) + R$ 400 (despesas variáveis) = R$ 800 (custo mensal).

Se você perceber que precisa de dois meses para se reorganizar financeiramente, multiplique: 800 x 2 = R$ 1.600. Portanto, esse valor é a sua meta de reserva.

Importante: se você perceber que a meta está fora da sua realidade no momento, diminua ou estabeleça um objetivo baseado em sua rotina.

 

3º Passo: Junte o dinheiro que for possível para a sua meta

 

Depois de encontrar sua meta, não precisa se preocupar em guardar tudo de uma vez. Você pode definir um valor fixo ou variar de acordo com a rotina financeira do mês. O importante é tentar separar o dinheiro.

Lembrando que a reserva de emergência é para você evitar depender de empréstimos de bancos que cobram taxas abusivas.

                   

                      💡  Leia mais: Descubra como economizar pagando aluguel 

 

Onde guardar a minha reserva de emergência?


Na hora de guardar a reserva, é importante pensar em segurança e na disponibilidade de tirar o dinheiro a qualquer momento, afinal, emergência não avisa quando vai chegar. 

O ideal é optar por uma conta com rentabilidade superior à poupança, assim você só precisa deixar seu dinheiro rendendo, sem precisar se preocupar.

 

Monte sua reserva de emergência e diga adeus aos perrengues financeiros


Agora que você viu a importância de ter uma reserva de emergência, se for possível, coloque em prática, assim você não precisa se desesperar com nenhum imprevisto, já que terá um dinheiro guardado. Não se preocupe com o quanto você guarda por mês, o importante é começar!

 

[Conta MP - Blog] Abrir conta MP - crédito rápido e sem burocracias


Escrito por:

assinatura_equipe

Artigos relacionados