Skip to content
Entre Crie sua conta

Diga sim para conquistar seus objetivos
Dicas sobre como organizar seu dinheiro, sair do vermelho, fazer seu dinheiro render e entender o mercado.

Acesse

Conheça a biblioteca

Diga sim para crescer como empreendedor
Conteúdos práticos sobre como organizar as finanças do seu negócio, começar a empreender, administrar seu negócio e vender mais

Acesse

Conheça a biblioteca

Diga sim para expandir sua empresa
Conhecimento sobre como impulsionar suas vendas, gerenciar e expandir sua empresa e insights de mercado

Acesse

Conheça a biblioteca

Diga sim para tecnologia descomplicada
Conteúdos sobre conta grátis, crédito, venda online e física, Pix e tutoriais Mercado Pago

Acesse

Conheça a biblioteca

Reserva de emergência: como criar a sua

Entenda a importância de ter uma quantia guardada para perrengues financeiros.
Homem sorrindo enquanto olha para a tela do laptop

A tela do celular trincou, o pneu do carro furou, a casa está com um vazamento ou aquele eletrodoméstico parou de funcionar. Quem nunca passou por esse tipo de dor de cabeça?

Imprevistos e gastos não programados podem acontecer a qualquer momento, mas nesse tipo de situação contar com uma reserva de emergência pode proporcionar mais tranquilidade, principalmente financeira, não tendo que desequilibrar seu orçamento. 

Descubra, abaixo, como criar uma reserva e evitar que os imprevistos atrapalhem suas finanças. 

 

Por que ter uma reserva de emergência?


Uma reserva de emergência nada mais é que uma quantia de dinheiro que se tem guardada para cobrir despesas em caso de imprevisto. Ela funciona como uma proteção, pois te dá mais segurança em situações urgentes ou inesperadas que exigem gastos específicos. 

Assim, caso você passe por um problema como desemprego, emergências médicas e veterinárias, por exemplo, não vai precisar diminuir seu padrão de vida, nem precisar recorrer a soluções desesperadas, colocando sua organização financeira em risco. 

A indicação dos economistas é que a reserva financeira seja equivalente ao valor de seis salários ou, então, de pelo menos, 6 meses das suas despesas fixas. Para quem está começando, pode parecer muito difícil guardar essa quantia, mas o importante é iniciar aos poucos até atingir esse valor. Outro ponto de atenção é que, como você não sabe ao certo quando vai precisar usar, por isso, essa quantia precisa ser guardada em um lugar que permita seu acesso de imediato. 

Entre as vantagens de construir uma reserva de emergência estão:

  • Não depender de empréstimos não planejados
  • Não comprometer seu salário e sua renda
  • Fugir de juros abusivos e evitar usar o crédito de forma irresponsável
  • Sensação de segurança e tranquilidade
  • Maior proteção financeira para você e sua família
  • Fazer seu dinheiro render mais
  • Ter um melhor controle dos gastos
  • Evitar negativações ou restrições ao crédito

 

Como fazer a sua reserva de emergência


Desenvolver uma reserva exige muito planejamento e disciplina. Por isso, antes de mais nada é preciso se organizar e entender quanto é possível poupar. Veja algumas dicas para começar a sua: 

 

  • Organize e registre suas despesas

O primeiro passo para uma vida financeira mais tranquila é ter um controle financeiro pessoal. Isso pode ser feito por meio de uma planilha, caderno ou aplicativo. Independente da ferramenta, é essencial anotar suas despesas, fontes de renda e pequenos gastos. Assim, você tem uma ideia de como seu dinheiro é gasto, onde economizar e o quanto pode ser destinado à sua reserva. 

 

  • Separe um valor mensal

Depois dessa análise, defina um valor fixo mensal. Mesmo que seja uma pequena quantia, é importante criar o hábito de reservar esse dinheiro todos os meses. Pode ser que em alguns momentos você não consiga separar esse valor, e que em outras consiga poupar mais. O imprescindível é que não desista e continue crescendo sua reserva.  

 

  • Invista seu dinheiro

Outra forma de ajudar o dinheiro a multiplicar é investir em um produto financeiro de baixo risco, como os títulos públicos e os CDBs. Assim, sua reserva rende um pouco mais a cada mês. 

 

  • Separe o essencial do supérfluo

Aluguel, gás, alimentação, energia e financiamentos são alguns dos gastos essenciais. Anote essas despesas e as separe daquilo que pode ser considerado supérfluo. Com isso, você consegue identificar possíveis gastos a serem evitados e sobra mais dinheiro para sua reserva. 

 

  • Avalie a situação de sua reserva

Procure reavaliar sua situação financeira para saber se o valor separado na reserva de emergência é realmente suficiente. Seus gastos ou padrão de vida podem ter mudado, sua renda pode aumentar, entre outros. Assim, você tem uma visão mais clara de quanto é necessário ter de fato.

 

Onde guardar a reserva de emergência? 


Existem diferentes opções de investimento e, na hora de escolher, leve em conta três fatores, sendo o baixo risco, altíssima liquidez (conversão de um bem em dinheiro) e nível de segurança. 

Como esse dinheiro tem como objetivo proporcionar estabilidade financeira, não faz sentido aplicá-lo em investimentos considerados arriscados. Afinal, a reserva não busca grandes lucros, apenas ter um rendimento acima da inflação. Outro ponto é a liquidez, pois esse valor precisa ter a possibilidade de ser resgatado a qualquer momento. 

Atualmente, existem opções que atendem a todos esses requisitos e rendem mais que a poupança, como o Tesouro Direto, títulos de renda e até mesmo contas em instituições financeiras que garantem ao cliente um rendimento maior que a poupança.  

 

Proteja-se financeiramente, faça sua reserva! 


Ter uma reserva de emergência é muito vantajoso e pode fazer toda a diferença na sua organização financeira. Assim, você evita perrengues e garante muito mais segurança. Lembre-se de que não é preciso começar com o valor relativamente alto, você pode guardar aos poucos conforme seu planejamento e ir aumentando sua reserva.

 

Abra sua conta Mercado Pago


Escrito por:

assinatura_equipe

Artigos relacionados