Skip to content
Entre Crie sua conta

Diga sim para conquistar seus objetivos
Dicas sobre como organizar seu dinheiro, sair do vermelho, fazer seu dinheiro render e entender o mercado.

Acesse

Conheça a biblioteca

Diga sim para crescer como empreendedor
Conteúdos práticos sobre como organizar as finanças do seu negócio, começar a empreender, administrar seu negócio e vender mais

Acesse

Conheça a biblioteca

Diga sim para expandir sua empresa
Conhecimento sobre como impulsionar suas vendas, gerenciar e expandir sua empresa e insights de mercado

Acesse

Conheça a biblioteca

Diga sim para tecnologia descomplicada
Conteúdos sobre conta grátis, crédito, venda online e física, Pix e tutoriais Mercado Pago

Acesse

Conheça a biblioteca

6 dicas para ensinar educação financeira infantil de maneira prática

Ensinar as crianças desde cedo é uma forma de tornar sua relação com dinheiro mais consciente.
Homem com o filho no colo, colocando uma moeda no seu cofrinho

O Brasil atualmente é considerado um dos países com o maior número de endividados no mundo e, conforme afirma a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), 70,9% das famílias brasileiras apresentaram alguma dívida em 2012, sendo que esse endividamento foi considerado um dos mais graves dos últimos 11 anos. 

Parte desse problema é provocado pela falta de educação financeira, fazendo com que as pessoas não administram de forma consciente o seu dinheiro, por isso que a oferta de conteúdos financeiros que ensinam e educam é essencial para a população. 

Inclusive, é uma medida interessante para infância, garantindo que essas crianças se tornem adultos mais conscientes, responsáveis e com uma relação mais saudável com o dinheiro.

 

O que é a educação financeira infantil? 


A educação financeira não está associada apenas à redução de gastos e despesas, mas à compreensão de ações que são tomadas para alcançar a estabilidade e segurança financeira. 

Dessa forma, investir na educação financeira infantil se propõe a ensinar as crianças sobre os princípios básicos de como lidar com as finanças de forma consciente e saudável, permitindo que tenham um futuro estável financeiramente, além de próspero e organizado.

É por isso que esse tipo de educação não é um investimento apenas para os indivíduos, mas para o progresso social e econômico do país. Afinal, uma população financeiramente educada sabe como gerenciar seus ganhos e bens adequadamente, entendendo mais sobre economia e mercado. 

 

Leia também: Planejamento financeiro: como se organizar e cuidar melhor do dinheiro

 

Como funciona a educação financeira?


A educação financeira tem como base alguns pilares essenciais para estabelecer um comportamento equilibrado em relação ao orçamento, e entre as principais lições está o reconhecimento do valor do dinheiro, garantindo a compreensão daquilo que ele pode comprar. 

Além disso, é possível entender como organizar e controlar as despesas, definir metas e objetivos, criar o hábito de poupar e ter consciência sobre como ganhar, economizar e investir seu dinheiro

Quando se fala das crianças, a educação financeira precisa deixar claro que o dinheiro não é apenas um “papel” e sim o fruto do seu esforço, representando boas oportunidades, o que ajuda a criança a ter hábitos saudáveis e compreender aspectos sobre como o dinheiro circula. 

 

6 dicas de como investir na educação financeira infantil


A partir do momento em que a criança já sabe fazer as operações básicas de matemática e ter uma compreensão de valores, é possível dar os primeiros passos na sua educação financeira, sendo recomendado iniciar entre os seis e oito anos de idade. 

Durante esse processo, é importante lembrá-la que o dinheiro é um recurso limitado e aos poucos oferecer mais autonomia à criança para que ela aprenda a observar as finanças na prática. 

Veja algumas dicas para colocar a educação financeira infantil em prática no dia a dia: 

 

  1. Explique como se ganha e usa o dinheiro

Alguns conceitos são abstratos demais para crianças, por isso comece pelo simples. Ensine-as de onde vem o dinheiro da família e o quanto é necessário trabalhar para ter um determinado valor ou comprar algo, pois são fatores que ajudam a gastar com consciência e fazer boas escolhas. 

 

  1. Ensine através de jogos e brincadeiras

Com certeza você já ouviu falar que “aprender brincando” é mais divertido, não é? E com a educação financeira não é diferente. Você pode usar jogos e brincadeiras para ensinar sobre gestão do dinheiro, como acontece com os jogos de tabuleiro Monopoly e Banco Imobiliário.

 

  1. Incentive o uso do cofrinho 

O clássico cofrinho pode ser um dos primeiros pontos de contato com o conceito de economia e objetivos financeiros. Por meio dele, é possível ensinar a poupar, ter uma meta, além de estimular tranquilidade e persistência ao usar o dinheiro.

 

  1. Mostre como você organiza as contas da casa

Em diversos comportamentos, as crianças se inspiram nos pais. Por isso, aproveite a oportunidade de demonstrar como você organiza as contas da casa e como o dinheiro é distribuído em diferentes segmentos, como a manutenção da casa, gastos fixos, investimentos, entre outros. 

 

  1. Seja um exemplo para as crianças

A melhor forma de ensinar é pelo exemplo. Com isso, evitar problemas financeiros, não fazer compras por impulso, ter um bom controle do orçamento, entre outros, podem refletir diretamente na forma como a criança lidará com o dinheiro no futuro. 

 

  1. Dê uma mesada e ensine a criança a administrá-la

Outra forma é dar uma mesada para que as crianças possam administrar o dinheiro na prática. Se o dinheiro não for suficiente, esse exercício vai ensiná-las a se planejarem para alcançar seus objetivos, além de compreenderem o valor real do dinheiro e ter uma percepção clara sobre os riscos e danos que o ato de comprar por impulso pode causar. 

 

Invista na educação financeira e torne as crianças mais conscientes


A educação financeira infantil é fundamental para formar adultos mais conscientes sobre seus gastos e ganhos, criando desde cedo uma relação mais saudável com o dinheiro. Dessa forma, não apenas essas pessoas terão um futuro com mais qualidade de vida, como também podem se tornar mais comprometidas com a economia e suas escolhas financeiras.

 

Abra sua conta Mercado Pago


Escrito por:

assinatura_equipe

Artigos relacionados