Skip to content
Entre Crie sua conta

Diga sim para conquistar seus objetivos
Dicas sobre como organizar seu dinheiro, sair do vermelho, fazer seu dinheiro render e entender o mercado.

Acesse

Conheça a biblioteca

Diga sim para crescer como empreendedor
Conteúdos práticos sobre como organizar as finanças do seu negócio, começar a empreender, administrar seu negócio e vender mais

Acesse

Conheça a biblioteca

Diga sim para expandir sua empresa
Conhecimento sobre como impulsionar suas vendas, gerenciar e expandir sua empresa e insights de mercado

Acesse

Conheça a biblioteca

Diga sim para tecnologia descomplicada
Conteúdos sobre conta grátis, crédito, venda online e física, Pix e tutoriais Mercado Pago

Acesse

Conheça a biblioteca

Como proteger sua conta de golpes digitais

Saiba quais são as principais medidas de segurança para blindar suas informações.
Mulher analisando seu smartphone e laptop

Quando o assunto é dinheiro, segurança nunca é demais. Por isso é tão importante ficar atento ao abrir uma conta digital, priorizando sempre instituições que investem na sua proteção e possuem sistemas que agem diretamente contra fraudes e golpes, evitando o vazamento das informações. 

Um olho no mercado: número de golpes digitais nos últimos anos


Não é à toa que se deve prestar atenção e ter cuidado redobrado com os seus dados na internet. 

Segundo informações da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), o número de golpes envolvendo o sistema financeiro no Brasil teve alta de 80% desde o início da pandemia. Para se ter uma ideia, somente em fevereiro de 2022, 326.290 brasileiros sofreram tentativas de golpes, o que corresponde a uma vítima a cada 7 segundos, de acordo com o Serasa Experian. 

Além do aumento, o perfil dos golpes também mudou. Antes, o principal tipo de crime era documental. Ou seja, por meio de falsificação de cheques, assinaturas ou boletos. Agora os golpistas atuam com engenharia social, tentando extrair informações sensíveis ou levando o usuário a tomar alguma ação, como envio de um Pix ou pagamento fraudulento. 

É por isso que atualmente, os bancos investem cerca de R$ 2,5 bilhões em segurança digital, segundo a Febraban, mas os clientes também precisam reforçar seus cuidados.

 

Os golpes digitais mais comuns


Há uma infinidade de crimes que afetam as contas digitais. Conheça alguns dos principais golpes e como eles funcionam: 

 

  • Extravio de cartões: nesse caso, as quadrilhas interceptam a entrega do cartão no endereço e ligam para a vítima comunicando que houve um problema. Como solução, solicitam a senha do cartão e fazem uso em compras e pagamentos. 

 

  • Golpe do WhatsApp: ao conseguir o número da vítima, golpistas tentam cadastrar o mensageiro em outro aparelho. Para concluir a operação, eles se passam pelo Serviço de Atendimento ao Cliente, solicitando o código necessário. Com essa informação, conseguem acesso à conta. Outra modalidade é o famoso golpe do Pix, onde os fraudadores adicionam seus contatos com outro número de telefone, mas usam a sua identidade e solicitam transferências via Pix para seus contatos. 

 

  • Clonagem de cartão: os criminosos fingem ser funcionários da instituição financeira, alegando uma suposta compra efetuada. Para resolver o problema, solicitam que a pessoa entregue o cartão “clonado” a um funcionário que passará no endereço da vítima. De posse do cartão, os golpistas usam-no para fazer compras. 

 

  • Troca de cartões: durante uma transação, o criminoso consegue observar a digitação de senha, distrair a vítima e fazer a troca do seu cartão por um outro similar.

 

  • Pescaria digital: nesse tipo de fraude, as quadrilhas enviam links e criam perfis falsos para roubar informações das vítimas, como senhas e outros dados sensíveis. 

 

8 passos para se proteger contra os golpes digitais


Felizmente, existem diversos meios de proteger seus dados e evitar cair em golpes digitais. Além de usar os aplicativos e canais oficiais da sua instituição financeira, fique atento às dicas a seguir: 

 

  1. Biometria digital e facial: essas são camadas de segurança difíceis de burlar, e garantem que somente você faça o acesso. 

 

  1. Notificação por WhatsApp e chatbot: já existem empresas que usam o aplicativo WhatsApp como proteção. Nesse caso, o usuário é notificado a cada transação pelo aplicativo de mensagens, tendo a possibilidade de, inclusive, tomar ações de bloqueio direto pelo aplicativo. 

 

  1. Geolocalização e perfil de comportamento de uso: com o aprendizado das máquinas, depois de um certo histórico de acessos, a tecnologia entende padrões de uso do cliente e consegue identificar atividades suspeitas, requisitando informações de autenticação para prosseguir com as operações. Outra tecnologia é a localização geográfica, se o cliente está em Brasília, por exemplo, e houver uma movimentação em Londres, receberá uma notificação para comprovar a veracidade.  

 

  1. Monitore periodicamente o extrato bancário: fique de olho nas movimentações financeiras, podendo identificar rapidamente qualquer atividade fraudulenta. 

 

  1. Deslogue da sua conta digital: ao encerrar seu acesso, clique no botão “sair” para deslogar. 

 

  1. Ative a autenticação dos usuários: sempre que disponível, ative as verificações em dois fatores para contar com segurança extra. 

 

  1. Utilize cartão virtual nas compras online: essa opção permite criar um cartão com validade limitada para compras específicas, ou então poder fazer o bloqueio, controle do valor máximo e exclusão a qualquer momento. 

 

  1. Use antivírus: todos os seus dispositivos precisam ter um antivírus que aumente a proteção, dificultando a ação de bandidos. 



Caí em um golpe, e agora? Mesmo tomando todas as precauções, ainda é possível ser vítima de golpes. Caso isso aconteça, fique atento aos procedimentos a serem tomados: 

  • Busque contato imediato com a instituição financeira: faça o aviso por meio dos canais oficiais e solicite o bloqueio dos cartões de crédito e débito, carteiras virtuais e outros serviços que possam estar expostos.
  • Denuncie a conta fraudulenta: verifique se há uma Delegacia de Repressão aos Crimes Informáticos (DRCI) na sua região e informe o crime. 
  • Faça um boletim de ocorrência: registre um B.O detalhadamente na Polícia Civil ou na Delegacia Virtual do Ministério de Justiça e Segurança Pública.
  • Redefina suas senhas: troque todos os acessos que podem ter vazado, incluindo e-mail, aplicativos bancários, redes sociais ou outros sites. 
  • Peça uma nova via do cartão: também é importante solicitar uma nova via dos cartões, que virão com novos dados. 
  • Conteste compras que você desconhece: reporte à instituição financeira as compras não reconhecidas para evitar que os prejuízos sejam maiores. 

 

Proteja-se e mantenha sua conta segura


A melhor forma de se proteger é usar serviços de instituições financeiras que prezam pela sua segurança e contam com mecanismos que aumentam sua proteção. Além disso, siga sempre procedimentos extras de segurança  como autenticação de dois fatores e senhas fortes. 

Assim, é possível minimizar as chances de ter seus dados e patrimônio comprometidos.

 

Quer uma conta gratuita


Escrito por:

assinatura_equipe

Artigos relacionados